Byron Glacier Trail

28 de outubro de 2016

Na viagem para o Alaska nós não tínhamos um “roteiro fixo de lugares” – tínhamos apenas alguns desejos aleatórios como pisar num lago congelado e ver uma geleira por exemplo.

Então cada dia que acordávamos a gente decidia o que iria fazer. E no dia 26 de fevereiro decidimos ir ver uma geleira! Haha! E a surpresa foi que a maioria delas estava longe e/ou só tinha acesso via barco e como tudo é congelado no inverno – não tinha como chegar. Depois de pesquisar um pouco, encontramos a Byron.

Byron Glacier Trail

No verão é menos de meia hora de caminhada pra chegar nela – com um caminho bem fácil. Mas a nossa realidade foi outra: chuva, vento e um caminho cheio de gelo e neve.

Byron Glacier Trail

Não sei o que era pior: afundar quando a neve estava alta ou quase cair quando estava fina e com gelo.
Resultado: um pouco mais de uma hora de caminhada pra ir e mais uma hora pra voltar.

Byron Glacier Trail

E lá foi o único lugar onde a internet não funcionou (no restante dos passeios era sempre LTE: um SONHO!!!). E tinham patinhas de animais no gelo. E meu coração disparava a cada passo. A gente estava literalmente no meio do nada.

Byron Glacier Trail

Ainda no meio do caminho eu tive vontade de desistir – pois não tinha noção do quanto faltava ainda e a chuva ficou forte e o vento tava assustando um pouco! Rs! Mas daí logo atrás da gente chegaram mais duas pessoas tão loucas quanto a gente por estar lá naquele dia… Seguimos! :)

Byron Glacier Trail

Byron Glacier Trail

Byron Glacier Trail

Byron Glacier Trail

Byron Glacier Trail

Byron Glacier Trail

Byron Glacier Trail

Byron Glacier Trail

De pertinho: o azul era inexplicável de tão lindo!

Byron Glacier Trail

Byron Glacier Trail

Abaixo um vídeo bem curto mostrando um pouco do caminho e da geleira! :)

Byron Glacier
Endereço: Byron Glacier Road, Girdwood, AK

P.S. Levou 8 meses para esse post sair! E a vontade de voltar só aumenta!

0 Comentários
Lugares, , , ,

Alaska: Um Breve Relato

25 de março de 2016

Ver a aurora boreal ao vivo era um daqueles sonhos que parecia meio impossível de realizar – assim como pisar no estado do Alaska.

Quando estava no avião, perto de pousar, olhei pela janela e vi aquele monte de montanha coberta de neve e tive que engolir o choro, fiquei quietinha (estava sentada com dois estranhos ao meu lado e o more na outra fila, com outros dois estranhos – obrigada Alaska Airlines).

Alaska

Tentava processar tudo aquilo que estava prestes a acontecer e fiquei lembrando de todos os programas que tinha assistido e todas as vezes que tinha me imaginado no Alaska… Só que dessa vez era real. Dei uma olhada para o more, ele me olhou e a gente se deu conta que sim, a gente iria em poucos minutos pisar em Anchorage.

Chegada no aeroporto e uma primeira vista de tirar o fôlego logo na escada. Andamos mais um pouco e um caminho com a aurora boreal.

Alaska

Pegamos o carro e assim que saímos do aeroporto a vista mais incrível que a gente tinha visto até então – TODO o caminho era cheio de montanhas maravilhosas de neve… Era tão lindo e tão emocionante de ver que fizemos um facetime com a familia – e quem me acompanhou no snapchat também pode ver “ao vivo”. Era simplesmente lindo demais – e desejei que cada pessoa querida pudesse ver aquilo tudo também.

Depois de passar o primeiro surto, fomos até o hotel… E o nosso quarto ERA SIMPLESMENTE O MAIS LINDO desse mundo. Tinha oito janelas enormes de vidro e uma cama gigante cheia de travesseiros com vista para todas aquelas montanhas maravilhosas.

Alaska

Passado o segundo surto resolvemos ir comer. E Anchorage tem um shopping com 5 andares de lojas! A cidade que fica no Alaska tem mais estrutura que a nossa cidade atual. Hahaha! E o que dizer do atendimento nos lugares? Maravilhoso!!!

Eu estava tão maravilhada com tudo que nem sei bem explicar.

Na volta para o hotel nos arrumamos pra ir tentar ver a aurora boreal, mas o tempo fechou e no dia seguinte também.

Alaska

Eu tava boba com tanta roupa! Hahahaha! Eu amo demais o frio e a neve. Esse é o retrato do “pinto no lixo”!

Sábado cedinho depois de pegar a taxista mais louca de Anchorage (que ficou dando voltas e contando histórias da cidade e que parou em uma casa que tinha um cervo de estimação no pátio e obrigou a gente a tirar foto) chegamos na estação de trem. Duas passagens na classe “aventura” para Fairbanks. Doze horas de viagem no maior estilo “vintage”. E que viagem minha gente!!!

Pra quem assiste na Discovery HD Theater “Nos Trilhos do Alaska”, o Harry Ross era o nosso condutor e o trem parou para deixar propano para o tiozinho que tem um gancho na mão – igualzinho ao seriado! Hahahah!

Alaska

Depois de andar de trem pacas, chegamos em Fairbanks. QUE CIDADE MARAVILHOSA E GELADA – NÃO QUERO MAIS IR EMBORA – ME DEIXA VIVER AQUI. O taxista que nos levou até o aeroporto pra pegar o carro foi super simpático – deu dicas de como dirigir na neve e o telefone – se a gente se perdesse ou tivesse problema pra dirigir era só ligar pra ele. E eu até agora tento processar toda a gentileza que recebemos durante essa viagem.

E daí o universo beijou a gente no traseiro – pois foi uma sequencia de COISAS DANDO CERTO que parecia que a gente estava vivendo a vida de outra pessoa.

Chegamos no hotel (com o caminho mais lindo desse mundo) e um atendimento apenas impecável. Sorriso e gentileza novamente. E cookies!

Pedimos indicação de um lugar legal pra comer as 22hs da noite – e o atendente mandou a gente ir no mesmo lugar que o taxista tinha recomendado. E que comida minha gente!!! Tinha o meu suco preferido da vida, uma penne com legumes e o melhor hambúrguer vegetariano que a gente já comeu. E na porta o jornal do dia que a gente precisava pra coleção.

Alaska

Voltamos para o hotel e pensamos em ir tentar ver a aurora boreal. Preparação zero. More procurou um lugar escuro no google maps, vestimos nossa roupa completa, pegamos as coisas, estacionamos e mal coloquei a camera no tripé e lá estava ela: dançando no céu enquanto eu gritava pro more que a camera nem tava configurada ainda – diz pra aurora esperar um pouco! Hahahaha!

Alaska

Eu nem sentia mais meus dedos… Mas tava clicando e tentando olhar e processar A COISA MAIS LINDA QUE JÁ VI NA VIDA. Cada foto tirada e more e eu dávamos um grito no meio do nada. Só a gente e ela. QUE MOMENTO ÚNICO.

Voltamos pro hotel e desmaiamos. QUE DIA PERFEITO.

Depois disso saímos mais duas noites e novamente as luzes do norte apareceram. A noite do Alaska é inexplicável – quando não tem aurora boreal visível, tem o céu mais estrelado que já vi na vida – enquanto você olha fica se perguntando se é real mesmo. É MUITO LINDO.

Alaska

Durante os dias a gente conciliava o trabalho e os passeios pelas cidades próximas. Conhecemos pelo menos dez cidades. Parávamos nos postos de “beira de estrada”… Parecia um filme. Cada passeio uma descoberta e um cenário mais lindo que o outro. Sem guia e sem roteiro.

Alaska

E eu vou parar de escrever pois era pra ser um relato breve e já escrevi trinta páginas. Mas o que quero dizer com isso: conheçam o Alaska no inverno. A beleza é tão pura e tão linda que vale a pena congelar o nariz, os dedos das mãos e os pés.

Comprem bota de neve, um super casaco, luva e protetor de rosto. Eu já disse luva? Vou complementar que não pode ser essas bonitinhas não, precisa ser luva de verdade ou você fica com a mão zoada (e dói viu?)! Hahahaha! E vou dizer pra usar o protetor de rosto de dia se for fazer uma caminhada longa, pois se não o rosto fica zoado também! Mas nada que uma manteiga super hidratante não resolva!

Alaska

E a gente não vê a hora de ir novamente. A próxima viagem vai ser mais perto do círculo polar ártico. E mais no inverno ainda. Haha! Porque eu sou louca mesmo – e gente louca gosta de fazer coisa louca. Vamos todos juntos pro Alaska no inverno! Quem topa?! Hahaha!

5 Comentários
Lugares, , , , , , ,